O que é Gaslighting?

Gaslighting é um tipo de violência. O termo vem do filme Gaslight (1944), o qual conta a história de um marido que manipula sua esposa com muita sutileza, fazendo com que ela duvide de sua lucidez. Explicando de maneira mais clara, gaslighting é um tipo de abuso psicológico de gênero, uma violência sútil e manipuladora, que desgasta a autoestima e autoconfiança da vítima a ponto de anular-se. É de difícil compreensão para as pessoas que estão no entorno da vítima, até mesmo para profissionais e autoridades.

Esse tipo de abuso é  perverso, acontece de maneira contínua e repetitiva, através de um exercício de assédio constante, o que gera dúvidas e confusão na pessoa que sofre. A vítima se sente anulada, esgotada e, por vezes, culpada pela conduta do abusador. Não é raro, que a vítima duvide de tudo que acontece a sua volta, acreditando ser os altos e baixos de um casal. Além do mais, não podemos esquecer que estamos falando de um abusador com perfil manipulador e persuasivo, que usa do vitimismo, do arrependimento, da condescendência e promessas de felicidade, demonstrações de carinho e amor, fazendo a vítima acreditar que a sua própria mudança, influenciará a mudança dele. Geralmente, é uma violência machista, mas, por vezes, homens também sofrem gaslighting por parte de suas parceiras. Nesses casos, torna-se ainda mais difícil a aceitação e percepção de que um homem sofre abuso, tanto por parte da vítima, como das pessoas que estão a sua volta.

Os efeitos dos maus-tratos psicológicos são tão devastadores e até mesmo irreversíveis, quanto de agressões físicas. Em muitos casos, a pessoa que sofre o abuso procura ajuda por conta de seu esgotamento, da ansiedade e de problemas psicológicos, em consequência dos maus-tratos. Contudo, acabam se deparando com outro problema, a incompreensão das pessoas em seu entorno, de profissionais e autoridades sobre o assunto, pois trata-se de uma violência velada e indireta. É de extrema importância a capacitação de profissionais e autoridades em violência de gênero. Os profissionais acabam lidando com o abuso de forma que toda ação tenha uma reação, ou seja, a ideia de que há 50% de responsabilidade para cada envolvido (neste caso, parceiro/a). Contudo, esquecem-se que as mulheres estão fortemente influenciadas pelas crenças e padrões culturais do que a sociedade espera delas… E aí, é preciso haver mais flexibilidade no entendimento da dinâmica relacional, além de compreensão sobre violência de gênero, pois acaba que a ideia dos 50% de cada um se desfaz por completo.
Gaslighting é um tipo de violência que acontece diariamente, muito mais do que possamos imaginar, talvez debaixo de nossos próprios narizes… E traz diversos prejuízos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *